Vitor Garcia iniciou nas coberturas esportivas de automobilismo em 2.002, como colunista de um site, passando no mesmo veículo pelas áreas de promoção e também como editor-chefe, participando de coberturas das maiores categorias nacionais como Stock Car, Fórmula Truck, Renault SpeedShow (Copa Clio e Fórmula Renault) entre outras e também internacionais (Le Mans Series, Mundial de Endurance e Fórmula Indy).

Ao lado do locutor e amigo Carlos Mattos, foi pioneiro em podcast (em 2.006) de automobilismo, distribuído semanalmente e gravado com toda qualidade e profissionalismo em um estúdio em São Bernardo do Campo, cidade do ABC Paulista; o falava sobre os eventos da semana e trazia sempre um convidado do meio: pilotos, chefes de equipe, engenheiros, jornalistas, etc. O grande sucesso os levou até a maior web rádio na época, a Rádio Giga onde produziam o Giga Racing, já também com o locutor Alex Cronhal; lá foram responsáveis pela primeira transmissão ao vivo de uma corrida de automobilismo brasileiro, uma etapa da extinta GT3 Brasil.

Em 2.007 inicia os trabalhos de assessoria de imprensa, juntando-se ao time paranaense de Copa Clio, W Racing; a parceria daria frutos: 3 títulos de pilotos (2.007 e 2008 com José Cordova e 2.009 com José Vitte), além da quebra de recorde, tornando a W Racing a equipe com mais vitórias consecutivas em um mesmo campeonato (18 provas).

A partir de 2.010 assume pela primeira vez a assessoria de imprensa de um campeonato: o extinto Brasileiro de Spyder Race (protótipos). Lá teve o primeiro contato com a TV, conhecendo o produtor Marcos Moschetta do programa Curva do S (extingo canal Speed Channel/Fox) e fazendo as primeiras matérias como repórter.

Os próximos anos seriam intensos, com colunas em revistas periódicas, além de trabalhos de assessoria, comunicação e ocasionais com pilotos, equipes e campeonatos, e assim nascia em 2.010 a VG3 Assessoria e Comunicação, empresa responsável por gerir todas essas informações, conteúdos e parcerias. Passaram pelo casting da empresa pilotos como Alexandre Doretto, Renan Guerra, além das categorias do automobilismo paulista, Marcas e Pilotos e Fórmula 1600.

A passagem pelo Campeonato Paulista de Marcas e Pilotos também o levaram novamente à TV, agora produzindo e comentando um programa semanal com entrevistas de pilotos e personalidades do esporte, junto com o jornalista Marcos Michelette.

Entre 2.014 e 2.015 passou pela maior publicação nacional de automobilismo, a Revista Racing, como editor de conteúdo web e também com participações especiais em algumas edições físicas, além de participar do primeiro projeto fora das pistas com a dupla participante do The Voice Brasil, os irmãos Bruno & Camila, à época agenciados pelo amigo Rui Salles Jr.

Foi ao lado de Rui Salles Jr. que também cuidou da assessoria de imprensa da equipe RS Racing e também mantinha a responsabilidade de colunas mensais no Jornal Oficina Brasil, onde detalhava a montagem de um carro da categoria básica Fórmula 1600.

Um dos maiores desafios foi assumir o posto de chefe de imprensa das 500 Milhas de Londrina, tradicional prova do auotmobilismo nacional, entre as edições de 2.013 à 2.018. Junto à organização da prova paranaense, desenvolveu projetos de uma revista que era rodada cerca de 12 horas antes da largada, com notícias atualizadas para serem entregues aos participantes e público. Em 2.016, ano em que a prova completou 25 anos foi responsável por escrever e preparar uma publicação especial com quase 80 páginas contando a história da prova, personagens importantes, relatos de todas as edições e um ranking com todos os pilotos que já haviam participado da prova.

O retorno às pistas aconteceria em 2.021, com o jovem piloto Lucas Freitas em sua estréia no automobilismo, mais uma vez na categoria paulista Fórmula 1600.

Versátil e com experiência em todas as mídias, foi convidado para ingressar na equipe esportiva (Barra Sports) da web Rádio Barra Funda, realizando a cobertura dos Jogos Olímpicos Tóquio 2.020.

E a história continua…